busca

envie um email telefones para contato

13:20 - 19/08/10
Venda de imóveis no semestre foi a 2ª melhor da história em SP

 

Resultado só é inferior ao registrado em 2008, época do boom imobiliário no Brasil
 
As vendas de imóveis novos nos seis primeiros meses de 2010 na capital paulista cresceram 18,4%, o que corresponde ao segundo melhor resultado da história, atrás somente de 2008, auge do boom imobiliário, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Secovi-SP (sindicato da habitação).
 
No primeiro semestre deste ano foram vendidas 17.005 unidades residenciais, contra 14.368 unidades de um ano atrás. Em 2008, foram comercializadas 19.224 unidades.
 
O bom resultado reflete as vendas do primeiro trimestre do ano, de 8.461 unidades, que compreendem os meses de janeiro e março. No segundo trimestre, entre maio e junho, houve queda nas vendas, superior ao previsto pelos especialistas. Foram vendidas 8.554 unidades, uma queda de 10,4%, em relação ao mesmo período do ano passado - quando foram vendidas 9.537 unidades.
 
No entanto, a previsão é que o segundo semestre deste ano seja melhor, com vendas em torno de 37 a 38 mil unidades, segundo Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi. 
 
- Proporcionalmente, as vendas realizadas no segundo semestre dos anos anteriores variaram até 60%. Para chegar a esse número é preciso fazer mais 20 ou 21 mil moradias de julho a dezembro.
 
Os imóveis de dois quartos lideram as vendas com 35,3% (5.999 unidades), seguido pelo o de três dormitórios, com 35,1% (5.965 unidades). Os de quartos dormitórios representam 18,6% das vendas.
 
De acordo com a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio), foram lançadas no semestre 13.566 unidades, 66,5% a mais que no ano passado. Desse total, 43% desse são de dois dormitórios e outras 37,2% são de três dormitórios.
 
Financiamentos
 
Ao menos seis em cada dez imóveis vendidos no país são financiados, segundo levantamento da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).
 
Os empréstimos para a compra da casa própria com recursos da poupança bateram recorde no semestre, com R$ 23,8 bilhões, um crescimento de 77% em relação ao mesmo período de 2009.
 
Segundo a associação, a maior oferta de imóveis e financiamentos no mercado, com prazos mais longos de pagamento e taxas de juros menores, são responsáveis pelo resultado positivo. 
 
Fonte: Clip Imobiliário
| Mais

 
Veja também


 
Comentários