busca

envie um email telefones para contato

13:50 - 10/06/10
Mercado de trabalho aquecido para corretores de imóveis

No rastro do aquecimento do mercado imobiliário no Brasil, a profissão de corretor de imóveis vem crescendo a cada dia. Somente no ano passado, 20 mil novos corretores no país ingressaram na profissão. Ao todo, já são 250 mil. O número é 11,5% maior do que o registrado em 2008 pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci). “Com a expansão do mercado imobiliário, a corretagem de imóveis representa um ganho de capital rápido. Por isso, muita gente está migrando para a profissão. Mais de 75% dos corretores do Rio têm nível superior. O público feminino também tem procurado mais a atividade. Hoje 30% dos corretores são mulheres”, disse o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio (Creci-RJ), Edécio Cordeiro.

A remuneração do corretor varia de acordo com cada negócio. Em geral, a comissão padrão no Rio é de 5% sobre o valor de venda do imóvel e está embutida no preço cobrado ao comprador. O Rio é o segundo estado brasileiro com o maior número de corretores, perdendo apenas para São Paulo. São 32.327 corretores (número do primeiro trimestre de 2010). Em 2007, o Creci-RJ registrava 26.382 profissionais. Ou seja, um aumento de 22,5% em três anos.

O advogado Flávio Monteiro, de 34 anos, entrou no ramo há um mês. Ele trabalhava num escritório de Direito e resolveu se aventurar: “Profissionalmente, minha carreira me atendia. Mas financeiramente, não. Por enquanto estou conciliando as duas profissões, mas a ideia é que em pouquíssimo tempo eu me mantenha somente com a corretagem. Numa única venda posso ganhar R$ 20 mil, fazendo algo que gosto”, disse Flávio.

Fonte: JR Soluções Imobiliárias

| Mais

 
Veja também


 
Comentários