busca

envie um email telefones para contato

08:21 - 22/07/10
Imóveis para todos os bolsos

 

Em todos os anos nunca venderam-se tantos imóveis quanto nesses primeiros meses de 2010. De acordo com a pesquisa levantada pela ADEMI –BA, somente no período de janeiro a abril foram vendidos mais de 4,2 mil imóveis. Os números são recordes. Resultado da combinação de juros baixos, programas de incentivo federal, além do crédito farto e longo.
 
Os números do mercado imobiliário brasileiro impressionam. Nesse mesmo período, a Caixa Econômica Federal liberou quase R$ 10 bilhões em financiamento para a compra ou construção de casas e apartamentos. Esse montante é quase 100% maior do que o do mesmo período do ano passado.
 
Com o aquecimento do mercado imobiliário e as facilidades, hoje é possível que qualquer pessoa adquira a tão sonhada casa própria. Na oferta, inúmeros imóveis destinados para todos os bolsos, isso porque o mercado agora vai se direcionar bastante para as classes C e D com projetos, apartamentos no valor de até R$ 100 mil. Se antes apenas a classe A e B eram as favorecidas, hoje as classes C e D podem comemorar com a inclusão de programas como o Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, um dos grandes responsáveis por este crescimento. O programa é voltado para famílias que ganham até dez salários mínimos. De acordo com o Superintendente Regional da Caixa, Vivaldo Oliveira Neto, desde que teve início, o programa já aprovou 400 mil contratos de financiamento. "O objetivo é atingir um milhão de casas", disse.
 
No entanto, ele não é o único responsável pela explosão de vendas. O crescimento ocorre em todas as camadas e está associado à redução gradual da taxa de juros, crédito de longo prazo, segurança jurídica e uma iniciativa privada pronta para atender a uma demanda imensa. As construtoras, que por muitos anos ficaram apenas erguendo poucos empreendimentos voltados para a classe média alta, estão comemorando. As ações, que haviam caído no início da crise, já recuperaram seu valor. Os investidores voltaram e as companhias novamente se capitalizaram e estão lançando imóveis como nunca em sua história. Hoje são inúmeros empreendimentos voltados para a classe média baixa, o que mostra que o mercado mudou. "Hoje, temos um leque de opções para todos os gostos e bolsos", enfatizou o Vice-presidente da ADEMI-BA e Coordenador do Salão de Negócios Imobiliários da Bahia, Cláudio Cunha.
 
Prova do novo perfil do mercado imobiliário é o Salão de Negócios Imobiliários da Bahia que se tornou referência e um dos eventos mais esperados do ano pelos baianos. Destinado a todas as classes, o evento reúne inúmeras empresas do segmento, além das financiadoras com taxas e juros mais baixos e do programa Minha Casa, Minha Vida. Este ano, o Salão promete atrair ainda mais compradores com mais um novo programa: o Programa Habitacional do Servidor Público, da CONDER.
 
De acordo com o superintendente da instituição financeira em Salvador, do Banco do Brasil, Leopoldo Gondim Medeiros, para o Salão deste ano, o BB vai oferecer taxas, no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), a partir de TR + 8,9% ao ano. Através do BB, o cliente poderá financiar até 90% do valor do imóvel, sendo que, o valor mínimo será de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) e o valor máximo financiado será R$ 1.500.000,00 (um milhão e meio de reais).
 
"Para ter acesso à linha é preciso ter limite de crédito aprovado com o financiamento desejado e o imóvel pode ser residencial ou comercial, novo ou usado, localizado em área urbana. Mas o crédito não visa somente àqueles que desejam adquirir um imóvel. Quem já possui um também poderá utilizar o BB Crédito Imobiliário para aquisição do segundo", afirma Leopoldo.
 
Fonte: Clip Imobiliário
| Mais

 
Veja também


 
Comentários