busca

envie um email telefones para contato

16:03 - 12/08/10
Demanda por moradia exigirá R$ 520 bi em crédito em 2014

 

O crédito imobiliário deve financiar 930 mil imóveis em 2010, mas a demanda média anual deve superar 1,37 milhão de unidades por ano até 2016. Esse déficit habitacional de mais 400 mil unidades anuais deve continuar a pressionar a demanda por crédito imobiliário no País.
 
"Em 2014, a demanda por crédito imobiliário será de R$ 520 bilhões, precisamos de outras alternativas além da poupança para financiar a crescente demanda", alerta o presidente da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário (Abecip), Luiz Antonio França.
 
De acordo com dados do Banco Central, a captação líquida da poupança saltou para o recorde de R$ 5,32 bilhões em julho, acumulando R$ 14,16 bilhões no ano.Dessa forma, o saldo de recursos da poupança para crédito imobiliário (SBPE) atingiu R$ 276,9 bilhões ao fim de julho desse ano.
 
Mas mesmo com essa boa performance a Abecip busca outras alternativas para complementar os recursos do crédito imobiliário. "Nós nos reunimos nessa terça-feira com a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda para propor a adoção dos covered bonds no Brasil", informou França.
 
Segundo o executivo, os covered bonds, tradicionalmente utilizados na Europa, podem servir como mais um instrumento de crédito a ser utilizado pelos bancos. "É uma espécie de LCI [Letra de Crédito Imobiliário] em que o banco pode emitir esse título", exemplifica França.
 
O presidente da Abecip justificou a necessidade de mudar a legislação para que o produto possa ser adotado no Brasil. "A diferença é que, em caso de não-pagamento, os ativos podem ser transferidos diretamente para o investidor", detalha França, sobre a forma de garantia do novo título.
 
Atualmente, a legislação prevê que, em caso de insolvência, a preferência de receber os ativos é do governo, seguido pelos custos trabalhistas; só depois o investidor tem direito ao resgate.
 
O economista-chefe da consultoria MB Associados, José Roberto Mendonça de Barros, diferenciou os covered bonds dos atuais instrumentos de securitização. "Os covered bonds são utilizados pelos bancos para captar crédito de longo prazo, ao passo que a securitização é um mecanismo do mercado de capitais", explicou Barros ao DCI.
 
O presidente da Abecip diz que o setor está atento à demanda futura de crédito. "Em setembro vamos conversar com a Anbima [Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais] e com a CVM [Comissão de Valores Imobiliários] para discutir a necessidade futura de financiamento imobiliário", informa França.
 
 
Fonte: Clip Imobiliário
| Mais

 
Veja também


 
Comentários