busca

envie um email telefones para contato

08:52 - 19/07/10
Cresce compra de imóveis por jovens

 

Consumidores de até 35 anos respondem por 57% do volume de pedidos de financiamentos imobiliários no Brasil
 
Os jovens estão mais interessados em adquirir a casa própria. Dados da Caixa Econômica Federal (CEF) mostram que os consumidores com menos de 35 anos já respondem por 57% das solicitações de financiamentos imobiliários no Brasil. Com o aumento da procura pelo crédito, cresceram também os saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 29% de janeiro a abril deste ano, frente ao mesmo período de 2009. O benefício pode ser utilizado na compra de imóveis.
 
Antes de constituir uma nova família, a vendedora Danielly Martins Profeta, 20, planejou bem o futuro. Ela e o namorado, Alessandro Wolney Machado Mendes, 20, resolveram comprar a casa própria antes mesmo de chegar ao altar. Após escolher o imóvel desejado, o casal dividiu o valor em leves prestações de R$ 390 ao mês para pagar em até 25 anos. Para a vendedora, a negociação sem burocracia foi o fator mais importante para a compra, já que o casamento só sai após a entrega do apartamento, que ainda está na planta.
 
De acordo com o levantamento da Caixa, o volume de financimentos habitacionais realizados em 2009 ficou em R$ 47,05 bilhões, equivalente a 102% maior que o registrado em 2008. Segundo o gerente regional da Caixa em Goiás, Marcos Donizete Lourenço da Silva, o crescimento no nível de empregos formais e da massa salarial é o principal fator para a maior demanda pela casa própria. A estabilidade econômica, aliada à facilidade de acesso à informação, também colabora para que os jovens abaixo de 30 anos procurem mais financiamentos.
 
Isso porque a Caixa dispõe de um simulador em sua página eletrônica - www.caixa.gov.br -, onde os consumidores podem se informar das linhas de crédito, quantia e quantidade de parcelas a que têm acesso. O cliente pode também se informar dos principais documentos necessários e saber a quantia que pode financiar, de acordo com a própria remuneração. “Muitos  já chegam com todos os documentos em mãos, o que facilita o processo”, diz.
Donizete explica que outros fatores também colaboraram para a maior demanda, como menor saldo devedor, juros reduzidos e ampliação do prazo para pagar o imóvel para até 30 anos. Outro motivo foi a criação do programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal.
 
O crescimento substancial, explica o gerente, aconteceu no mercado como um todo e pode ser comprovado através dos números registrados pela Caixa. Em 2009, foram emprestados R$ 1,8 bilhão para financiamentos imobiliários em Goiás, contra R$ 893 milhões no ano anterior. Já em 2010, o gerente calcula que já foram contratados R$ 1,3 bilhão até agora, o que colabora para a previsão de um ano ainda melhor para os financiamentos.
 
Linhas
O gerente lembra que a Caixa possui diversas linhas de crédito atrativas, que utilizam recursos do FGTS, Caderneta de Poupança e outros recursos. A taxa de juros cobrada atualmente pela instituição financeira varia de 4,5% a 12%, mais a taxa referencial (TR). Donizete explica que o acesso ao financiamento habitacional também está mais simplificado, com menos burocracia.
O credenciamento efetuado pelos 40 correspondentes da Caixa Econômica também ajuda a acelerar o processo. Os profissionais orientam os clientes e realizam a primeira fase do financiamento. Além disso, o gerente revela que está sendo testado um projeto piloto onde o correspondente terá acesso a todo o sistema da Caixa, podendo efetuar 90% do processo. 
A rede de agências também irá crescer em todo o País, com projeção de 200 novas unidades por ano em abertura no Brasil nos próximos cinco anos.
 
Fonte: Diário da Manhã
 
| Mais

 
Veja também


 
Comentários