busca

envie um email telefones para contato

08:38 - 20/07/10
Crédito imobiliário da Caixa cresce 95%

 

Desde janeiro, a CEF concedeu empréstimos no valor de R$ 34,1 bilhões, quase o dobro em relação ao primeiro semestre de 2009.
 
A Caixa Econômica Federal encerrou o primeiro semestre com um total de R$ 34,1 bilhões em sua carteira de crédito imobiliário, com a assinatura de 575 mil contratos. O resultado representa expansão de 95,1% em relação a igual período do ano anterior e já é maior que todo o montante aplicado em moradia no ano de 2008. O número também representa quase sete vezes o que foi emprestado em 2003.
 
Segundo o vice-presidente de Governo da Caixa, Jorge Hereda, do total da carteira de crédito, R$ 16,48 bilhões foram destinados para o programa Minha Casa, Minha Vida. A previsão é de que até o fim deste ano a aplicação de recursos em crédito imobiliário supere a marca dos R$ 60 bilhões.
 
O programa Minha Casa, Minha Vida tem 542 mil contratos assinados até junho em todo o País, desde seu lançamento, em abril do ano passado. No Estado de São Paulo foram contratadas 109.651 habitações no período, totalizando R$ 7,17 bilhões.
 
No primeiro semestre, do total da carteira de crédito da Caixa para financiamento de imóveis, que é de R$ 34,1 bilhões, foram destinados R$ 16,48 bilhões para o Minha Casa, Minha Vida no País. Segundo Jorge Hereda, foram entregues 120 mil unidades dentro do programa e a expectativa é fechar o ano com 300 mil unidades no País.
 
Em São Paulo, a carteira de financiamento total, incluindo o programa, durante o primeiro semestre deste ano soma 128.874 contratos, o que representa aumento de 16,68% sobre os 110.450 do mesmo período do ano passado. Em valores, o Estado registrou aumento de 71,72%, passando de R$ 5,3 bilhões no primeiro semestre de 2009 para R$ 9,1 bilhões no primeiro semestre deste ano.
 
Se o ritmo for mantido, até o fim do ano o volume de financiamento habitacional no Estado deve ultrapassar os R$ 12,1 bilhões alcançados em 2009.
 
Crédito. O crédito imobiliário no Brasil tem condições de chegar a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, na avaliação do vice-presidente de Governo da Caixa Econômica Federal. "No Brasil, o volume de crédito imobiliário ainda é inexpressivo, se comparado ao PIB e, portanto, acredita-se que o atual ciclo virtuoso deve se manter ao longo dos próximos anos", observou Jorge Hereda. Atualmente, o segmento representa apenas 3% do PIB.
 
O executivo não acredita em uma bolha imobiliária. "O preço dos imóveis estava deprimido há muito tempo. Sem dúvida, agora o mercado está aquecido e a renda da população melhorou". Segundo Hereda, a instituição tem até 2013 para encontrar uma solução que possibilite esse crescimento sustentado, minimizando os temores quanto a perspectiva de esgotamento dos recursos da caderneta de poupança.
 
Os recursos para financiamento de imóveis usados cresceram 39% entre janeiro e junho em relação ao mesmo período de 2009, de R$ 9,6 bilhões para R$ 13,3 bilhões. A Caixa tem conversado com o Ministério da Fazenda sobre alternativas para aumentar os recursos para financiar imóveis, revela Hereda. 
 
Fonte: Clip Imobiliário
| Mais

 
Veja também


 
Comentários